Seguidores

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Termoterapia através da Manta térmica



O calor superficial produzido pelos equipamentos de termoterapia produz excelentes resultados e esta diretamente ligado a preparação da região corpórea para procedimentos estéticos e fisioterápicos em protocolos de lipodistrofias e patologias especificas.
O uso do calor no tratamento de doenças é infinitamente antigo.
Fonte de água quente e lama quente, mesmo nos tempos atuais, tem sido empregadas habitualmente.
Sabemos que a medida que o calor ambiental aumenta, o fluxo sanguíneo também aumenta.
Como conseqüência o consumo de oxigênio se elevará, desde que, o tecido seja aquecido dentro da taxa terapêutica correta, permitindo um maior aporte de nutrientes que promove uma boa cicatrização.
Este é o principio básico do uso de calor em terapias.
O calor faz parte de uma modalidade terapêutica e a esta ciência, denomina-se
TERMOTERAPIA.


Definição:

É uma forma de calor superficial, produzindo através de resistências elétricas.


Efeitos:

Calor superficial
Hiperemia
Vaso dilatação
Aumento do metabolismo
Analgesia
Descontraturante
Relaxante
Regenerador tecidual
Favorece a defesa


Tempo de aplicação:


Dependendo da área a ser tratada e do problema estético ou patológico.
Características térmicas do equipamento:
Revestido por material isolante, evitam a dissipação do calor.
O controle de temperatura de cada manta, aplicada sobre os segmentos individuais, permite ao terapeuta um correto manuseio, de acordo com o caso a ser tratado; sua temperatura atinge em média, um calor de 38 a 60 graus; tais equipamentos, quando isolantes, não oferecem risco de choques.


Técnica de aplicação:


Despir a área a ser tratada
Testar a sensibilidade térmica e dolorosa
Retirar objetos metálicos
Posicionar o cliente segundo a área a ser tratada.
Para tratamento de membros inferiores e abdômen, o cliente deverá ficar em
decúbito dorsal ou ventral.
Dependendo do tratamento desejado, poderão ser aplicadas sob as mantas, faixas de bandagens embebidas por liquido morno, que contenha ativos apropriados.

Questionar o cliente/paciente com relação a sensação de calor durante o tratamento.
Observar a pele do cliente, após 5 minutos de calor,
verificar se não há eritemas ou manchas vermelhas, o que indica calor desigual.
Caso esteja produzindo sensação queimante de calor, desligar o equipamento,
permitindo uma diminuição do calor.
Indicações estéticas:
Fibro edema gelóides (celulite)
Gordura localizada
Auxiliar na penetração de ativos
Coadjuvante para tratamentos eletroterápicos, técnicas cosméticas e manuais.


Indicações clinicas:


Artalgia
Artrite
Contratura
Dorsalgia
Espondilite
Lombalgia
Miogelose
Pré-cinesioterapia
Artrose
Contusão
Distensão
Entrose
Fibrose
Mialgia
Pós-gesso
Transtornos tróficos leves
Ciatalgia

Contra indicações:

Perda de sensibilidade
Transtornos circulatórios graves
Estados febris
Infecção renal e urinaria
Osteossínteses
Flebites
Cardiopatias (Qualquer doença que atinja o coração.)
Áreas anestesiadas
Processo inflamatório agudo
Período menstrual (lombar)
Gestante (lombar)
Edemas
Trombo flebites
Lesões teciduais (ferimentos abertos).
Postar um comentário

Total de visualizações de página