Seguidores

segunda-feira, 9 de março de 2009

Estrias


Verão combina com biquíni, saias e decotes.
Mas alguns inimigos femininos aterrorizam quando refletidos no espelho.
As estrias – que aparecem com mais freqüência no bumbum, seios e barriga
– podem ser tratadas e deixarem finalmente as mulheres aproveitarem o verão.
Médicos dermatologistas afirmam que 60% das brasileiras sofrem com o problema.
E, ao contrário do que se imagina, não se originam exclusivamente no efeito sanfona
(alternância entre o aumento excessivo de peso e o emagrecimento rápido),
resultam da ruptura das fibras de colágeno e elastina da pele.
Os sulcos também podem aparecer a partir do crescimento muito rápido na adolescência, na gravidez ou com o uso de corticóides.
Esbranquiçadas ou avermelhadas, as estrias podem ser amenizadas com um ou mais tipos de tratamentos estéticos associados.
As vermelhas são estrias recentes (por isso, mais fáceis de tratar) e apresentam tal coloração devido ao rompimento dos vasos sanguíneos da região.
As mais profundas e esbranquiçadas são antigas, como cicatrizes.
Nessa fase, os tratamentos conseguem apenas estreitá-las ou atenuá-las.
Tipos de tratamentos
- Peeling (Esfoliação)
O peeling químico utiliza substâncias que levam à descamação da pele superficial, promovendo o crescimento de uma nova pele. Nas fases iniciais das estrias, o peeling com ácido retinóico pode ser usado com bons resultados, mas nas fases mais tardias recomenda-se o uso dos alfa-hidróxiácidos (também podem ser usados nas recentes).
O tratamento é dividido em várias sessões, e pode causar os seguintes efeitos:
ardência, coceira, descamação.
É importante lembrar que durante o tratamento deve ser evitada a exposição ao sol.
- Microdermatoabrasão
Utiliza-se um aparelho capaz de esfoliar ("lixar") a pele, com uma ponta de cristal ou diamante. Ocorre a descamação da pele que recobre a estria, estimulando sua regeneração.
Uma grande vantagem dessa técnica é que ela estimula também a produção da elastina, que é responsável pela firmeza e elasticidade da pele.
Segundo alguns dermatologistas, essa técnica pode ser usada antes de outros procedimentos, como o peeling químico ou a intradermoterapia, pois facilita a penetração dos princípios ativos dessas últimas. O tratamento com a microdermatoabrasão é feito em algumas sessões, e os efeitos podem ser os mesmos que os obtidos com o peeling.
- Intradermoterapia
Consiste na injeção de substâncias, como o ácido glicólico, a vitamina C ou outras, que estimulam a formação de uma nova pele. A injeção é feita ao longo de toda a estria, com agulhas finíssimas, melhorando a circulação local e a produção de proteínas da pele. Consegue-se com isso a redução da altura e da espessura das estrias. São necessárias várias sessões, e a aplicação pode ser dolorosa. Assim como nos casos anteriores, a exposição ao sol deve ser evitada.
- Micropunturação + Aplicação de enzimas
Na primeira fase, é utilizado um aparelho próprio que promove a estimulação elétrica na região da estria. Essa estimulação modifica o formato das células, que passa a ser próximo do normal. Na segunda fase, são aplicadas algumas enzimas que fazem com que as células mantenham esse formato. Ao contrário dos tratamentos anteriores, nesse caso indica-se que a paciente exponha-se ao sol por pelo menos 20 minutos durante a semana, pois os raios ultravioleta estimulam a produção das células que fazem a coloração da pele. Com isso, há uma repigmentação da estria, fazendo com que a sua cor esbranquiçada fique próxima à da pele normal. São necessárias várias sessões, e não é indicado para indivíduos que já utilizaram as técnicas com ácidos.
-Laserterapia Vascular
A aplicação do laser leva à redução dos vasos sanguíneos nas estrias, reduzindo sua coloração arroxeada, rósea. Leva também ao aumento das proteínas da pele. São feitas várias sessões, com intervalo de 15 dias. Consegue-se atenuar bem a aparência da estria.
- Laser CoolTouch
Esse tipo de laser não promove esfoliação, mas age nas camadas profundas da pele estimulando a produção das proteínas epiteliais. São necessárias algumas sessões, rápidas e que não causam ardência, vermelhidão e descamação. Também é utilizado no tratamento das rugas.
- Subcisão
Nessa técnica, introduz-se uma agulha grossa e com ponta cortante abaixo da estria, fazendo-se movimentos de vai-e-vem. Isso causa lesões no tecido, levando à formação de novas proteínas que vão preencher os locais onde elas faltavam.
Esse tratamento leva à formação de manchas roxas, que representam saída de sangue dos vasos, o que é importante pois também estimula a produção dessas proteínas.
Também é usado no tratamento da celulite.
- Hidroxiapatita com metilcelulose
É uma técnica nova e ainda pouco utilizada. Desenvolvida por brasileiros, consiste na injeção dessas substâncias na região da estria, fazendo com que os tecidos ao redor dela produzam mais proteínas que vão preencher o espaço morto. O tratamento é indolor e eficaz em até 90% dos casos. Não existem contra-indicações e os efeitos colaterais são mínimos, consistindo apenas em uma vermelhidão local nos dias seguintes à aplicação. São necessárias pelo menos 6 aplicações. Como se prevenir Após todo o empenho em amenizar ou até mesmo eliminar a aparência cicatricial das estrias, é importante mudar hábitos e tomar certos cuidados para evitar o aparecimento de novas lesões na pele.
Algumas sugestões: -
Corpo bem hidratado.
Beber pelo menos 2 litros de água por dia e use um creme hidratante à base de água.
Esses cremes devem ser ricos em emolientes à base de colágeno, elastina, lipossomas,
alfa-hidróxiácidos, uréia, lactato de amônia e óleos vegetais.
A melhor lubrificação melhora a resistência da pele contra a ruptura das fibras
- Usar sempre protetor solar;
- Evitar oscilações muito grandes no peso;
- Ativar a circulação da pele é importante, com jatos de ducha quente e fria alternados;
- Evitar o uso de roupas apertadas e o tabagismo;
- Praticar atividades físicas regularmente, mas com moderação; - Utilizar sutiãs adequados, pois ajudam a sustentar o peso dos seios;
- Alimentar-se bem, ingerindo quantidades adequadas de frutas e vegetais frescos.
A vitamina C presente nesses alimentos é um importante antioxidante e ajuda na formação das proteínas da pele.

Postar um comentário

Total de visualizações de página